quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Apresentação das Jornadas Comemorativas do Centenário da "Monografia da Freguezia Rural de Palmeira" da autoria de Agostinho Correia Pereira

Cartaz
A realização destas jornadas comemorativas da obra histórica de Agostinho Correia Pereira eram parte integrante e fundamental do plano de actividades do corrente ano.
Esta monografia publicado em 1912 pelo antigo Ministério do Fomento é da autoria do agrónomo, natural de Vila Real, Agostinho Correia Pereira. O autor embora incida a sua análise sobre as práticas e estruturas agrícolas de inícios do século XX, estende a sua abordagem a outras temáticas como a Sociologia, a Antropologia, a História e a Economia que caracterizavam a Freguesia de Palmeira no Concelho de Braga.
Embora possamos entender este estudo com o enfoque sobre a freguesia, entendemos que esta obra é antes mesmo um retrato de uma região mais vasta correspondente ao Minho rural do Inicio do século passado. Por isso, se torna uma obra fundamental para o estudo e conhecimento da mundividência desta região num passado já longínquo.

Aqui se relembra a divulgação das jornadas na comunicação social.

Texto de apresentação das Jornadas Comemorativas do Centenário da "Monografia da Freguezia Rural de Palmeira" da autoria de Agostinho Correia Pereira:

Serão realizadas quatro sessões no Centro Cívico de Palmeira: duas com dez comunicações de autores; uma de teatro e outra de música.

A 1ª sessão tem início na próxima sexta feira, dia 2 de Março, às 21h30. A abertura oficial far-se-á com o Senhor Presidente da Câmara Municipal, com o Senhor Presidente da Junta de Freguesia de Palmeira e com o Presidente da Direção da Katavus. Pelas 22h00 seguir-se-ão as intervenções da noite com as seguintes abordagens: João Gomes (professor e investigador) falará sobre “Agostinho Correia Pereira e o seu tempo” (autor da monografia centenária); Francisco José Teixeira (engenheiro da Cavagri e proprietário da Quinta da Verdasca), "O sector agrícola em Palmeira: 1910-2010"; Ana Maria Barata (engenheira do Banco Português de Germoplasma Vegetal), “Cem anos de biodiversidade agrícola”; Miguel Bandeira (professor catedrático da UM), "Palmeira - um referente tropical em veiga minhota: o campo e a cidade entre Braga e o Cávado"; José Pinto (presidente da direção da “Rusga de S. Vicente), "Um quinhão de memórias do palmeirense Manuel Silva - o Azevedo".

A 2ª sessão ocorrerá em 5 de Maio (sábado) com a representação de um texto inédito de Miguel Marado: “Palmeira 1909” (ano em que Agostinho Correia Pereira concluiu o trabalho de campo e escreveu a monografia), pela companhia de teatro local “Nova Comédia Bracarense”.

A 3ª sessão será a 11 de Maio com os seguintes autores e abordagens: Alberto Nídio Silva (doutorado UM), “Memórias do tempo lúdico”; Manuel Carlos Silva (professor catedrático da UM), “Entre velhos e novos modos de vida numa aldeia minhota: a luta pela segurança”; Henrique Barreto Nunes (ex-diretor da Biblioteca Pública de Braga), “As bibliotecas populares na 1ª República”; Fernando Cardoso (arquiteto), “Arquitetura popular: as quintas minhotas”; Manuel Magalhães dos Santos (padre jubilado natural de Palmeira), “Memórias de Palmeira”.

A 4ª sessão será musical com o “Ensemble de Guitarras” do professor Mário Adélio.

No fim de cada sessão será servido um verde de honra para convidados, autores, artistas e público que queira conviver.

Estas comemorações têm o apoio de Junta de Freguesia de Palmeira, Câmara Municipal de Braga, Nova Comédia Bracarense, “Ensemble de guitarras” do professor Mário Adélio, Cavagri - Cooperativa Agrícola do Alto Cávado, CRL - Adega de Braga, Pastelaria “Doçuras em Castelo eventos”, Padaria e Pastelaria “Panimera” e Pastelaria “Doce Ponte”.

Sem comentários:

Enviar um comentário